Páginas: [1]
Imprimir
Autor Tópico: A PASCOA ANTIGA E PASCOA MODERNA  (Lida 2726 vezes)
abuumeir
Novice
*
Mensagens: 36


juma.ismael@hotmail.com
Ver Perfil WWW E-mail
« em: Março 28, 2013, 09:09:40 »

A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA

Louvado seja Allah, senhor do Universo e que a paz e as bênçãos de Allah estejam com o Profeta Muhammad (Sallallahu Ãlaihi Wassallam), com seus familiares, companheiros e seguidores até o dia do juízo final. Amin!

Allah como misericórdia à humanidade enviou o último Mensageiro como orientação para a humanidade, e com o livro que seria luz e guia para os fiéis, e para esclarecer as verdades ocultadas e trazer a tona à verdadeira mensagem com a qual Jesus (Ãlaihi Salam) veio à humanidade: “Louvado seja Allah que revelou o Livro ao Seu servo, no qual não colocou contradição alguma. Fê-lo reto, para admoestar do Seu castigo e alvissarar aos fiéis que praticam o bem que obterão uma boa recompensa, Da qual desfrutarão eternamente, E para admoestar aqueles que dizem: Allah teve um filho! A despeito de carecerem de conhecimento a tal respeito; o mesmo tendo acontecido com seus antepassados. É uma blasfêmia o que proferem as suas bocas; não dizem senão mentiras!É possível que te mortifiques de pena por causa deles, se não crerem nesta Mensagem. (18:1-6)

Allah nos revelou o Livro da sabedoria e nos enviou um profeta que nos ensinou todo o caminho e a trilha para chegar à Satisfação de Allah e até a Sua recompensa. Nós temos orgulho de seguir a guia de Allah, e de renegar toda a incredulidade, toda a idolatria e todos os atos que nos façam parecer aos atos deles. E temos orgulho de seguir a guia do Mensageiro de Allah o qual foi enviado por Ele para nos recomendar o bem e proíbir o ilícito, prescrevendo-nos todo o bem e vedando o imundo, aliviando dos nossos fardos e nos livrando dos grilhões que nos deprimem. Temos orgulho de seguir a verdade e negar toda e qualquer falsidade. Disse Allah no Quran:

“Allah dá testemunho de que não há mais divindade além d’Ele; os anjos e os sábios O confirmam Justiceiro; não há mais divindades além d’Ele, o Poderoso, o Prudentíssimo. Para Allah a religião é o Islam. E os adeptos do Livro só discordaram por inveja, depois que a verdade lhes foi revelada. Porém, quem nega os versículos de Allah, saiba que Allah é Destro em ajustar contas. E se eles discutirem contigo (ó Mohammad), dize-lhes: Submeto-me a Allah, assim como aqueles que me seguem! Pergunta aos adeptos do Livro e aos iletrados: Tornai-vos-ei muçulmanos? Se se tornarem encaminhar-se-ão; se negarem, sabe que a ti só compete a proclamação da Mensagem. E Allah é observador dos Seus servos.” 3:19-20

“E quem quer que almeje (impingir) outra religião, que não seja o Islam, (aquela) jamais será aceita e, no outro mundo, essa pessoa contar-se-á entre os desventurados.” 3:85

 “Ó adeptos do Livro, por que negais os versículos de Allah, conhecendo-os? Ó adeptos do Livro, por que disfarçais a verdade com a falsidade, e ocultais a verdade com pleno conhecimento?” 3:70-71

“Dize-lhes: Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião, profanado a verdade, nem sigais o capricho daqueles que se extraviaram anteriormente, desviaram muitos outros e se desviaram da verdadeira senda!” 5:77

Como sabemos as festas de falsidade e incredulidade estão presentes em nós e na nossa sociedade, tais festas como a PÁSCOA e outras não tem base e fundamento nenhum na nossa religião, nem em suas próprias crenças (Judeus e Cristãos). As mesmas são baseadas nos atos de idolatria e adoração dos pagãos.

Esta celebração tornou-se e está a tornar-se uma grande celebração nos nossos dias, porque a mesma é  transmitida ao vivo via TV para todas as partes do mundo, bem como aparecem nas primeiras páginas de jornais, programas televisivos e revistas, ocupando e desviando uma grande parte das pessoas, bem como de coisas benéficas que poderiam ser transmitidas. Feriados e tolerância de trabalho são atribuidos para este dia, muitos muçulmanos ficam felizes, comemoram, propagam, vãos ao piquinique, etc. Sem saber ou mesmo a saber sobre a PÁSCOA sua simbologia é comum nas lojas, mercearias, etc.

 
Portanto a PÁSCOA como veremos mais adiante com provas, em nada tem a ver com Jesus (‘aleihi salam) ou até mesmo com o cristianismo e o que estão a fazer hoje não é nada mais nada menos do que imitar a conduta daqueles que descreram anteriormente.  Tais são as palavras de suas bocas; repetem, com isso, as de seus antepassados incrédulos. Que Allah os combata! Como se desviam” (9:30-31)

 Se eles afirma estar a celebrar a Ressureição de Jesus, nós dissemos que não, isso tudo é falso pois de acordo com o versículo abaixo Allah diz:
 “E por dizerem: Matamos o Messias, Jesus, filho de Maria, o Mensageiro de Allah. Ora, eles nem o mataram nem o crucificaram mais isto lhes foi simulado. E, por certo, discrepam a seu respeito estão em duvida acerca disso. Ele não tem ciencia alguma disso, senão conjeturas que seguem. E não o mataram seguramente”. [Surah An-Nissa’ 4: 157].

 
SIGNIFICADO DA PÁSCOA?

JUDAÍSMO
Para os Judeus Pácoa em Hebraico Pessach (ou seja, passagem), também conhecida como Páscoa judaica, é o nome do sacríficio executado em 14 de Nissan segundo o calendário judaico e que precede a Festa dos Pães Ázimos (Chag haMatzot). Geralmente o nome Pessach é associado a esta festa também, que celebra e recorda a libertação do povo deIsrael do Egito, conforme narrado nos seu livro de Shemot (Êxodo).
De acordo com sua tradição, a primeira celebração de Pessach ocorreu há 3500 anos, quando de acordo com a Torá, Deus enviou as Dez pragas do Egito sobre o povo do Egito. Antes da décima praga, o profeta Moisés foi instruído a pedir para que cada família hebréia sacrificasse um cordeiro e molhasse os umbrais (mezuzót) das portas com o sangue do cordeiro, para que não fossem acometidos pela morte de seus primogênitos. Eles dizem que chegada a noite, os hebreus comeram a carne do cordeiro, acompanhada de pão ázimo e ervas amargas (como o rábano, por exemplo). À meia-noite, um anjo enviado por Deus feriu de morte todos os primogênitos egípcios, desde os primogênitos dos animais até mesmo os primogênitos da casa do Faraó. Então o Faraó, temendo ainda mais a Ira Divina, aceitou liberar o povo de Israel para adoração no deserto, o que levou ao Êxodo. Como recordação desta liberação, e do castigo de Deus sobre Faraó foi instituído para todas as gerações o sacríficio de Pessach.
É importante notar quepara os Judeus Pessach significa a passagem, porém a passagem do anjo da morte, e não a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho ou outra passagem qualquer, apesar do nome evocar vários simbolismos.
Um segundo Pessach era celebrado em 14 de Iyar,para pessoas que na ocasião do primeiro Pessach estivessem impossibilitadas de ir ao Tabernáculo, fosse por motivos de impureza , ou por viagem .

CRISTIANISMO
Para os Cristãos a Páscoa cristã significaa ressurreição de Jesus Cristo. Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu por três dias, até sua ressurreição. É o dia santo mais importante da religião cristã.  Consideram eles um ritual de passagem, assim como a "passagem" de Cristo, da morte para a vida.
Etse evento religioso cristão, normalmente é considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e a mais importante festa da Cristandade. Como afirmamos na Páscoa os cristãos dizem celebrar a Ressurreição deJesus Cristo depois da sua morte por crucificação (ver Sexta-Feira Santa) que teria ocorrido nesta época do ano em 30 ou 33 da Era Comum. O termo pode referir-se também ao período do ano canônicoque dura cerca de dois meses, desde o domingo de Páscoa até ao Pentecostes.
A orígem da PÁSCOA para os Cristãos é na festa judaica, mas tem um significado diferente. Porque vimos que o Judaísmo, Pessach representa a libertação do povo de Israel no Egito, no Cristianismo a Páscoa representa a libertação de todo os que estavam separados de Deus pelo pecado, restaurados pela morte e ressurreição de Cristo e ainda fundamentado na previalidade alegórica do sacrifício de Isaac por Abraão, a entrega de seu filho para Deus, em holocausto e expiação.
Para os cristãos a Páscoa eles crêem que representa a passagem de Deus na forma da pessoa do Filho Jesus, para a salvação e libertação de todas as nações até os confins da Terra, abrindo de vez as portas para uma vida terrena em plenitude e sem medo da morte, pautada na promessa da vida eterna e da adoção filial de todos os que confiam no Senhor. Essa passagem se dá, no período da Páscoa, através de sacrifício humilde expiatório pois, para os cristãos, Deus fez-se o cordeiro passivo, sacrificado usado em expiação de todos os pecadores.
Dizem eles que depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu por três dias, até sua ressurreição. É o dia santo mais importante da religião cristã.
A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes (isto veremos mais adinate).
Na verdade A Páscoa é uma data móvel que usa a prática comum da astrologia; é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua nova após Ostara. Essa data também tem hever com a Páscoa judaica, católica e cristã estes referindo-se a falsa morte e ressurreição de Jesus Cristo!
Todavia, a cada ano, Padres e pastores católicos e cristãos e demais, celebram a Páscoa como se fosse uma festividade Religiosa instituída divinamente, ou seja católica ou cristã. Muitos Católicos e Cristãos referem-se a esse dia que celebra a dita ressurreição de Jesus como "Domingo da Ressurreição", de modo a tentar  encobrir essa celebração pagã que falaremos abaixo.
É claro que tudo que os Cristãos relacionam sobre a PASCOA e a morte de Issa Ãlaihi Salam é mentira e são falsas histórias, pois para nós muçulmanos Jesus (Ãlaihi Salam), não morreu, não foi crussificado nem ressussitou. Allah o fez ascender aos Céus e Ele voltará quando o fim dos tempos estiver próximo. O Versículo abaixo menciona  o que na verdade aconteceu com Jesus no final da sua missão.
“E por dizerem: Matamos o Messias, Jesus, filho de Maria, o Mensageiro de Allah. Ora, eles nem o mataram nem o crucificaram mais isto lhes foi simulado. E, por certo, discrepam a seu respeito estão em duvida acerca disso. Ele não tem ciencia alguma disso, senão conjeturas que seguem. E não o mataram seguramente”. [Surah An-Nissa’ 4: 157].
«nem o mataram nem o crucificaram mais isto lhes foi simulado.» Esta deve ser a crença que o muçulmano deve possuir em relação aos momentos finais da missão de Jesus ou seja aquilo que o aconteceu.

Mais detalhes sobre este assunto pode-se consultra o livro do Dr. Rabi Bin Hadee Al Madkhal “The statuts of Jesus in Isslam emhttp://abdurrahman.org/comprel/thestausofjesusmadhkali.pdf ”

(Cont)
Registado

Abu Umeir
Páginas: [1]
Imprimir
Ir para: