Páginas: [1]
Imprimir
Autor Tópico: AS MORTES DA RENAMO E A DOR POVO  (Lida 2788 vezes)
abuumeir
Novice
*
Mensagens: 36


juma.ismael@hotmail.com
Ver Perfil WWW E-mail
« em: Abril 03, 2014, 04:15:53 »

A SOBERANIA, AS MORTES DA RENAMO E A DOR POVO

(MUXÚNGUE)
 
Ó vós que sois defensores da pátria,
Saibam o que custo é da vossa democracia,
Vós tendes direito de defender-se sim não negamos,,
Está plasmado, embora muitos não concordem,
 
Vós tendes direito de perseguir a política falhada,
Da estaca zero do desarmamento das matas,
de santugira e sofala e enquandrar os homens da renamo,
Claro! É direito defender a integridade e o território,
 
Mas povo não pensa assim, povo o que sente e  fala,
Parece não pensar, pelas críticas que fazemos ao dito regime,
Dizemos ter razão, pelos insultos ao nosso presidente,
 
dos nomes feios que o chamamos, "ambicioso e arrogante"
povo pa! povo acorda! Sabeis do que a Renamo pretende?
temos noção da desestabilização? Do passado?
 
Vós sabe que filhos nossos em muxúngue e santugira,
estao a sofrer, Mortes, de noite e dia só a esconder e a correr,
Povo assiste na Tv nem?,mas saibais que na rua do vosso palco,
 
Onde teatro do Ocidente com Alice mabote e outros fazem,
Não muda nada da matança da Renamo e do sangue,
Derramado dos nossos e vossos filhos e civis,
 
Dos danos causados agora a linha de cena,
Do carvão que já não pode sair para salário subir,
Povo sabe, dos  críticos abertos ao dito regime,
Dentre cartas e aulas magnas e críticas aos mega projectos,
 
Dos sabotadores e lambe botas do presidente,
dos infiltrados, dos que maus conselheiros são,
Estão convictos com os académicos e grupo G 40,
Do povo que está calado desta porra e não aguenta,
 
Dos deputados de colarinho branco e bolsos xurudos,
Dos discípulos de Dlhakama que violentam verbalmente,
os Muxangas e Mazangas, as massas da capital e do país,
 
 razão procura-se em nos ou outros? Se todos estamos no mesmo barco,
Mas digo e repito a vós as mortes da RENAMO, pelas dores do povo
Aos assassinato do estado, Mussa Bin Mbique tem que se defender,
 
Seja com o exercito e a polícia,
A Renamo e o povo tem que acabar com a malícia,
Dos discursos dos jornais, praças públicas ou da TV,
 
Pois se assim continuar a paz já não se vê e a guerra se antevê

 
Farlahi e Xangamira Dombo,  In “Poemas  da defesa de Mussa Bin Mbique”
Registado

Abu Umeir
Páginas: [1]
Imprimir
Ir para: