Páginas: [1]
Imprimir
Autor Tópico: MÉDIO ORIENTE - CULPAR A ELES PRÓPRIOS OU AOS LÍDERES?  (Lida 2421 vezes)
abuumeir
Novice
*
Mensagens: 36


juma.ismael@hotmail.com
Ver Perfil WWW E-mail
« em: Fevereiro 04, 2011, 03:42:55 »

 Que a paz esteja com todos vós,

                                MÉDIO ORIENTE - CULPAR A ELES PRÓPRIOS OU AOS LÍDERES?


Um grande estudioso islâmico que viveu num período conturbado, Ibn Al Qayyim (Rahimahullah) dizia:

"Os líderes (governantes) são vistos como sendo a causa enquanto na realidade eles são apenas os sintomas. A verdadeira doença está nos governados. Portanto, todos os esforços para encontrar uma solução devem-se focar nos próprios governados."

Click e veja os lindos concelhos na íntegra em: www.al-muminun.net/.../222-culpar-a-nos-proprios-ou-culpar-os-lideres.html

Nota: O artigo em anexo foi retirado do site www.al-muminun.net, sendo assim todos os direitos estão reservados ao site.

Tendo em conta que o médio oriente e predominantemente muçulmano, muitos dos irmãos Muçulmanos e o resto do mundo estão neste momento a acompanhar a situação política que se vive naquela região. As revoltas e manifestações em diferentes países estão a tomar proporções alarmantes. Mortes, sangue, confusões são o dia dia dos nossos irmãos naquelas terras. Afinal o que é que se passa? Qual é o ponto de vista islâmico daquela situação.

É bem sabido que na religião isslâmica de acordo com o Alcorão e os Hadiths (tradições proféticas) qualquer situação de declíneo (espiritual, social, etc...) a causa e a culpa é o próprio muçulmano. Não há uma causa externa.

Allah não muda a situação de um povo sem que esse povo mude o que está nos seus corações Alcorão

"Ó fiéis, obedecei a Deus, ao Mensageiro e às autoridades, dentre vós! Se disputardes sobre qualquer questão, recorrei a Deus e ao Mensageiro, se crerdes em Deus e no Dia do Juízo Final, porque isso vos será preferível e de melhor alvitre." (4:59)

Esses são alguns exemplos, mas existem mais explicações e provas referentes a essa questão que poderão ser consultados com um Teólogo abalisado na matéria.

Hoje assiste-se a manifetações, golpes de estado, levantes, etc... Qual é a orígem disso e quem são os grupos que propagam essas ideologias revoluçionárias nesses países,, que tipo de Ãquida (crença) filosofia, pensamentos, ideologias, eles carregam? Qual é a sua orígem e agenda? Ao longo dos posts vamos tentar trazer aqui para que se Deus quiser começemos a entender afinal de contas o que é e não é isslam.

Em tempos recentes tem se debatido e discutido muito nas lides islamicas o assunto de moderação e extremismo no Isslam. Infelizmente, muitas destas discussões são guiadas por agendas políticas em ambos os lados da linha de divisão, isto é a fim de dizer que existem daqueles Muçulmanos que, no desejo deles de serem vistos como integrados pela comunidade anfitriã ou sociedade que estão inseridos, rotulam como extremista aquilo que eles vêem como estranho para a sociedade em que eles vivem.

No outro lado da linha de divisão, temos os extremistas que vão além dos limites da legislação Islâmica, outra vez, guiados por ou agendas culturais ou políticas, eles podem tirar a vida de indivíduos através de homicídio e terrorismo e atribuir isso ao Islam e até mesmo afirmar que o Islam legisla tais actos depreciativos

Isso e muito mais é o que vamos  perceber a Luz do Din (Qur´án e Sunnah, bem como os Ulamás do Sunnah do nosso tempo), para que não caiamos em êrros defendendo esse ou aquele, longe das directrizes do nosso Din (Religião).

Sheikh Allaamah al-Fawzaan respondendo uma das questões levantadas na sua lição na noite de 2 de Safar 1423H, na sua sessão aberta depois da oração Maghrib, e também transmitido no Paltalk disse.

"Não existe nenhuma vantagem em manifestações. Pelo contrário, elas são apenas confusão. Elas são de confusão, desordem. E que prejuízo será feito ao inimigo se as pessoas demonstrarem por rua após rua e aumentarem e levantarem as suas línguas? Pelo contrário, isto trata-se de matéria de razão para que o inimigo realmente se alegre, dizendo ele assim que ele causou prejuízos a eles (aos Muçulmanos) e danificou-os, portanto o inimigo alegra-se com isso..."

O Islam é uma religião de santidade, de tranquilidade, uma religião baseada em conhecimento (sabedoria), e não uma religião de confusão e ruído. É uma religião que tem como objectivo trazer santidade e tranquilidade, juntamente com o trabalho de actos beneficiários e acções louváveis, como ajudar os Muçulmanos e suplicar por eles.

Por isso, nós os Muçulmanos temos que atravessar sobre a manhaj (metodologia) do Islam no senso destes assuntos e (mais) outros do que estes. O Islam não veio com demonstrações ou repiques, e aumento de vozes, ou a destruição de propriedades do Estado, ou transgressão. Tudo isto não é do Islam e não traz vantagens, ao contrário isto prejudica os Muçulmanos  e não prejudica o inimigo. Pelo contrário os inimigos alegram-se com isto, e dizem, "Eu afectei-os, irritei-os, e eu afectei-os.  www.al-muminun.net
 
O artigo em anexo foi retirado do site www.al-muminun.net, sendo assim todos os direitos estão reservados ao site.


E Allah sabe Melhor
Registado

Abu Umeir
Páginas: [1]
Imprimir
Ir para: