Páginas: [1]
Imprimir
Autor Tópico: Revelações e Aspirações de um Deficiente  (Lida 1782 vezes)
linguadeperguntador
Global Moderator
Membro Completo
*****
Mensagens: 124


Ver Perfil
« em: Agosto 03, 2012, 12:16:44 »

De um dia para o outro a vida fez de mim alguém com menos um sentido. Em uma noite adormeci, ao despertar estava surdo... e só depois de longas horas me apercebi disso. Por instantes julgava-me sonhando, mas depois os factos foram se revelando.
Fiquei em estado de choque durante várias horas, em silêncio total. Apenas ouvindo o barulho das minhas lágrimas!
Os olhares que me eram dirigidos outrora começaram a fazer sentido. Lágrimas não paravam de jorrar, mas tudo em surdina, pensativo... em pleno dia, os meus olhos só viam o escuro, era apenas o sabor da inexistentência... Foram horas de inspiração. Mas eu sabia que não podia continuar como estava.
A morte convidava-me a entrar em seus aposentos e eu sentia-me a caminhar em sua direção. A única forma de livrar-me disso foi expressando a minha dor com um grito triste!
Estava SURDO!!! Era deficiente auditivo. Estava privado dos sons da natureza. Nesse instante era refém do silêncio para o resto da minha vida!
Tive de aprender a viver assim...Odiava a decisão de Deus.
Fui procurando pessoas que estavam no mesmo estado que eu, fiz amizades... Várias vezes fui julgado parvo ou burro pelo facto de não ouvir. Foi ai onde vi e senti o que os deficientes vivem no seu dia a dia, as dificuldades que enfrentam, a exclusão por parte da sociedade, a depressão...
Até ao momento em que me tornei surdo ignorava estes problemas, assumo e até ria-me deles. Não havia piadas mais engraçadas que as piadas que envolviam surdos, mudos, cegos e paraliticos!
Procurei libertar-me da surdez, com todas as minhas forças, lutei para obtenção de um aparelho auditivo.Tive de convencer meus familiares e amigos que estava surdo. Não foi fácil, mas "consegui".
Pus meus aparelhos auditivos aos olhos de Mocambique... em um dos programas mais vistos da Tv Mocambicana (saiba+).
O meu maior erro foi ter mentido para mim próprio que conseguia ouvir com os aparelhos.
Devia ter sido honesto comigo mesmo, devia ter dito que os aparelhos não me ajudavam a ouvir.
Tive medo de decepcionar a todos, tive medo de assumir esse facto!
Mas acabei caindo em mim, a partir dai, os meus sonhos as minhas aspiraçoes,TUDO, mas tudo mudou!
 
"Se os homens normais têm obstáculos no seu quotidiano, os deficientes têm em dobro"
 
Decidi lutar para melhorar a vida dos deficientes.
Falava para as pessoas dos problemas que enfrentamos diariamente, da descriminação de que somos alvo...e tudo que eu recebia eram olhares desinteressados, tudo que me era dado era a indiferença e algumas palavras de consolo.
No meu pais não existe nem um instituto superior para surdos e mudos, assim como cegos. Estamos privados de sonhar por uma formação superior. Os que têm posses, buscam isso no estrangeiro.O ensino primário encontra-se miseravelmente esquecido.
Não podemos ser engenheiros, doutores de lei, médicos, não podemos ser ministros,deputados e porque não presidentes?
Estamos condenados a ser operários, camponeses, mecânicos, pedreiros, electrecistas... e as de mais profissoes que nao exijam um diploma de licenciatura, mestrado ou bacharel.
Agradeço a Deus por não ter apanhado menigite quando crianca, pois isso deu-me tempo suficiente para aprender a ler e escrever correctamente.
Agradeço a Deus por ter me dado a oportunidade de poder estudar e formar-me.
Hoje, estou na Rússia, estudando em uma lingua que nunca ouvi e estou tendo progressos notórios, sei que irei conseguir voltar para casa formado, tenho essa Fé.
E tudo porquê? Porque me foi dada essa oportunidade.
Quantas pessoas como eu, não existem no meu país que têm o mesmo sonho que eu?
Quantos deficientes mais não sonham em licenciar-se, mas não o podem fazer porque o país nao possui nem uma universidade para deficientes e métodos para integração destes nas existentes? Quantos?
Eu sei que são tantos, espalhados do Rovuma a Maputo, mergulhados em depressão.
Tudo que quero agora, é formar-me, voltar a Mocambique e lutar para a formação de uma universidade para deficientes.
Sem estudos, ninguém me vai ouvir, mas pondo-me eu ao nível deles, serei escutado e os meus argumentos terão algum valor, logo, algo sera feito, creio nisso.
Não desejo a fama ou algo parecido, desejo apenas melhorar a vida dos deficientes,e e tudo!
Peço a Deus para que me ajude a concretizar este sonho, que também é o sonho de muitos como eu!
 
 
Eu vou conseguir,creio nisso
 
Chil Emerson David
Registado
Páginas: [1]
Imprimir
Ir para: